terça-feira, 31 de agosto de 2010

tow with all the BULLSHIT.

Dia a dia eu perco a fé na raça humana.
Os papos fajutos e argumentos baratos vazam dos bueiros da esquina de cada um, a massa maçante é cega, desprovida de bons gostos, necessitada do mínimo de bom senso possível.
Eu ando aqui e acolá, vejo algumas noticias no jornal e minha indignação cresce de tal forma que seria capaz de explodir a raiva e repulsa no meio da fuça de qualquer desgraçado que insista em ser medíocre, e ainda ache bonito tamanha demência. Para acabar com meu dia, vejo que essas pessoas são vangloriadas! Estão aonde estão pois a boiada come a porcaria toda sem reclamar, e depois caga bem no alvo da minha cara.
Me enoja o cheiro do abc maldito proclamado atualmente.
Humanóides engolem como se fosse água o veneno espalhado pelas cidades; tontos pela droga de quinta categoria seguem suas vidas mínimas, insignificantes e disfuncionais. Essas mesmas fodem com a sociedade ao apertar qualquer botão em dias de eleição, ao cultivar atividades frouxas e agirem como ratos.
Não, eu não me acho a melhor. Eu não sou a melhor e estou muito distante de tamanha definição, pois essa não se aplica a nenhum ser humano; sempre terá alguém melhor que eu, com não só idéias, mas atitudes extremamente mais elevadas. Mas minha consciência perante a vida é grande e valiosa demais para que eu feche meus olhos diante de grandiosa falta de caráter, preguiça de pensar e baixaria; para que eu cale minha boca e seja só mais um par de sapatos novos andando pela avenida encardida. Só mais um punhado de cabelos tingidos sem opinião alguma, que segue o fluxo conforme a banda toca.
Não, eu não sigo tal desafinado som; não quero ficar surda e perder a decência que me resta.

Um comentário:

bliss disse...

"The only way to fix it is to flush it all away."